quarta-feira, 2 de julho de 2008

Ele falou, tá falado!

Pergunta

Dúvida: Gostaria de saber sobre uso de piercing e se posso desenhar uma borboleta no pescoço, tipo tatuagem. Tenho 15 anos.

Resposta

Um ditado antigo, bem antigo ao que parece, assim rimava: “Cada roca tem seu fuso, cada terra tem seu uso” Realmente, é assim. Usos, costumes, moda, tradições variam de lugar para lugar, segundo a cultura da região e no transcorrer do tempo. Há de quando em quando, o surto de um modismo, por vez fugaz, passageiro, como aconteceu com o bambolê, com o boliche, com o bilboquê; outros se enraízam e perduram por muito tempo. Em geral, são elementos introduzidos pela juventude, mais inovadora, mais exibicionista, mais provocativa, mais desafiadora. Geralmente, não representam violação de princípios morais, nem são ofensivos ou escandalosos. São uma questão de gosto pessoal e uma adesão, tácita ou explícita, ao que os outros estão a fazer. Contudo, bom senso, comedimento, seriedade, equilíbrio, respeito ao sentir dos mais amadurecidos, acomodação ao que se mostram mais digno e recomendável, serão princípios que regem a conduta do jovem ponderado, refletido, cauteloso, de personalidade bem formada, que não cede ao exibicionismo, à frivolidade, à massificação, à pressão e influência dos “moderninhos”. Não se bandeia para os desleixados, os desataviados, que se vestem mal e extravagantemente, descuidados da aparência, feios, desasseados, até repugnantes, nem, no outro extremo, se embonecam em trajes luxuosos em demasia, recamados de atavios, enfeites, adornos ricos e caros, em profusão exagerada, próprios de mauricinhos e patricinhas pernósticos, esnóbicos, vaidosos, cheios de si e arrogantes, buscando afirmar-se como a elite aristocrática, plutocrática, refinada, orgulhosa. Singeleza, simplicidade, modéstia, com bom gosto e dignidade de aparência, são o que melhor fica ao jovem, especialmente se participante da família da fé em Cristo e zelosa do bom testemunho que honre ao seu Deus. O uso de brincos, piercing e a tatuagem, dependendo das circunstâncias, do ambiente, do local em que se exibam, da parte do corpo em que se localizem, se isso não causa escândalo e constrangimento, não atenta contra o pudor e a respeitabilidade, não são de condenar-se, nem contrariam a fé. Entretanto, a pessoa deve ponderar, com fria reflexão, quais as vantagens e desvantagens do uso e, em não havendo nada que as contradigue, brincos, piercing e tatuagem (desde que não horrorosa, nem aviltante) nada oferecem de impróprio e condenável. Mas, é sempre de optar-se pelo mais seguro e recomendável, mesmo porque os modismos se passam e, mais tarde, pode o portador dessas “novidades” arrepender-se, achando-se ridículo e insensato. Em tudo, busque-se o que se afigura melhor.

Rev. Waldyr Carvalho Luz

Extraído do site http://www.lpc.org.br/lpc2006/resposta.asp?duv=99

Obs: Se você não conhece o autor desse artigo, procure no "google", e você terá uma grande surpresa!!

Nenhum comentário: