domingo, 14 de dezembro de 2008

Impressões


Como surgiu o famoso Abaporu?
Quis fazer um quadro que assustasse o Oswald de Andrade, sabe? Que fosse uma coisa fora do comum. O Abaporu era aquela figura monstruosa, a cabecinha, aquelas pernas compridas, enormes, junto a um cacto. Quando viu o quadro, o Oswald ficou assustadíssimo e perguntou: "Mas o que é isso? Que coisa extraordinária!".
TARSILA DO AMARAL (PINTORA), 1972.

O Senhor já dirigiu em São Paulo?
Já, claro. Dirijo quando vou ao circuito treinar ou a um restaurante. É muito difícil. Os engarrafamentos são inacreditáveis. De longe, é o pior lugar em que já dirigi na minha vida
MICHAEL SCHUMACHER (PILOTO DE FÓRMULA 1), 2003.

Como é a vida de escritora?
Se for levar essa vida a sério, é bastante chata. Mas vivo nela toda satisfeita. Não vou a conferências, nem a festas literárias. Gosto mesmo é de cozinhar e de assistir a futebol e boxe. Fico até tarde da noite para asssitir a uma luta do Mike Tyson.
RACHEL DE QUEIROZ (ESCRITORA), 1996.

Um jogador homossexual teria lugar no seu time?
Homossexual, não. Não joga de jeito nenhum. Pode ser muito bom em outras áreas, mas num clube de futebol não tem lugar para gente assim. Não fica bem ter um homem com um homossexual numa concentração.
TELÊ SANTANA (TÉCNICO DA SELEÇÃO BRASILEIRA), 1981

O senhor seria candidato á presidência da República?
Eu concorreria se meu nome ajudasse na organizaçãodo partido em nível nacional. Seria uma oportunidade de promover a apresentação do programa de governo do PT. Sei que tenho apenas o diploma primário, o curso do Senai e o meu aprendizado na vida sindical, mas ao analisar os cinhecimentos políticos, sociológicos e filosóficos dos últimos presidentes, sinto-me superior a eles porque tenho um diploma que eles não tem: o da compreensão dos problemas sociais.
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA (SINDICALISTA E PRESIDENTE DO PT), 1987

Esses e outros trechos de entrevistas fazem parte da edição especial de 40 anos da revista Veja, que foi publicada em setembro de 2008.

Nenhum comentário: