sábado, 31 de janeiro de 2009

Eu não sabia, mas desconfiava...


Você sabia que foi apenas no ano 190 d.C. que a palavra grega ekklesia, que traduzimos como igreja, foi pela primeira vez utilizada para se referir a um lugar de reuniões dos cristãos? Sabia também que esse lugar de reuniões era uma casa, e não um templo, já que os templos cristãos surgiram apenas no século IV, após a conversão de Constantino?

Você sabia que os cristãos não chamavam seus lugares de reuniões de templos até pelo menos o século V? Você sabia que o primeiro templo cristão começou a ser construído por Constantino, sob influência de sua mãe Helena, em 327 d.C., às custas de recursos públicos, e sua arquitetura seguia o modelo das basílicas, as sedes governamentais da Grécia e, posteriormente, de Roma, e dos templos pagãos da Síria?

Você sabia que as basílicas cristãs foram construídas com uma plataforma elevada acima do nível da congregação e que no centro da plataforma figurava o altar, e à sua frente a cadeira do Bispo, que era chamada de cátedra? Você sabia que o termo ex cathedra significa “desde o trono”, numa alusão ao trono do juiz romano, e, por conseguinte, era o lugar mais privilegiado e honroso do templo?

Você sabia que o Bispo pregava sentado, ex cathedra, numa posição em que o sol resplandecia em sua face enquanto ele falava à congregação, pois Constantino, mesmo após a sua conversão ao Cristianismo, jamais deixou de ser um adorador do deus sol? Você sabia que o atual modelo hierárquico do Cristianismo, que distingue clero e laicato, teve origem e ou foi profundamente afetado pela arquitetura original dos templos do período Constantino?

Você sabia que Jesus não fundou o Cristianismo, e que o que chamamos hoje de Cristianismo é uma construção religiosa humana, feita pelos seguidores de Jesus ao longo de mais de dois mil anos de história? Você sabia que o que chamamos hoje de Cristianismo está profundamente afetado por pelo menos três grandes eras: a era de Constantino, a era da Reforma Protestante e a era dos Avivamentos na Inglaterra e nos Estados Unidos? Você sabia que é praticamente impossível saber a distância que existe entre o que Jesus tinha em mente quando declarou que edificaria a sua ekklesia e o que temos hoje como Cristianismo Católico Romano, Protestante, Ortodoxo, Pentecostal, Neopentecostal e Pseudopentecostal?

Você sabia que os primeiros cristãos se preocuparam em relatar as intenções originais de Jesus com vistas a estender seu movimento até os confins da terra? Você sabia que este relato está registrado no Novo Testamento, mais precisamente nos Evangelhos e no livro de Atos dos Apóstolos? Você sabia que o terceiro evangelho, Evangelho Segundo Lucas, e o livro dos Atos deveriam formar no princípio uma só obra, que hoje chamaríamos de “História das origens cristãs”? Você sabia que os livros foram separados quando os cristãos desejaram possuir os quatro evangelhos num mesmo códice, e que isso aconteceu por volta de 150 d.C.? Você sabia que o título “Atos dos Apóstolos” surgiu nessa época, segundo costume da literatura helenística, que já possuía entre outros os “Atos de Anibal” e os “Atos de Alexandre”?

Nesse emaranhado de coisas que eu não sabia, três coisas eu sei. A primeira é que a crítica que o mundo secular faz ao Cristianismo institucional tem sérios fundamentos, ou como disse Tony Campolo: “Os inimigos estão parcialmente certos”. A segunda coisa que sei é que nesta Babel que vem se tornando o movimento evangélico brasileiro, está cada vez mais difícil identificar a essência do Evangelho de Jesus Cristo, nosso Senhor. A terceira coisa que sei é que vale a pena perguntar aos primeiros cristãos o que eles entenderam a respeito de Jesus, sua mensagem, sua proposta de vida e suas intenções originais. Vale a pena voltar à Bíblia. Não há outra fonte segura de informação e formação espiritual, senão a Bíblia Sagrada, especialmente o Novo Testamento.

Ed René Kivitz, via http://pavablog.blogspot.com

Uma pausa para as palavras...

Cansei de escrever... estou gostando de postar vídeos...

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Caiam por Terra agora...


Depois de um culto maravilhoso, chego em casa e vejo pela Tv a triste notícia do desabamento do telhado da Renascer em SP. Que tristeza! Vou contar prá vocês a minha experiência com a Renascer.

Em 1989 eu morava em Botucatu (minha cidade natal) e uns universitários de SP que estudavam em Botucatu fizeram contato com a nossa Igreja sobre a possibilidade de trazer um grupo de jovens de SP, que era formado por músicos, alguns ex-drogados. O tal grupo veio, na quinta fez uma reunião no salão social da nossa Igreja, com testemunhos e tal. Na sexta fizeram uma apresentação na Unesp, e no sábado tocaram num ginásio. Mais tarde fiquei sabendo que aquela era a segunda vez que o grupo saiu de sua igreja para se apresentar. Os caras eram totalmente diferentes para os padrões da época: cabeludos, usavam guitarras distorcidas, e um som pesadinho. Sabe que grupo era? O Katsbarnéa!

A euforia foi tão grande que nos meses seguintes segui prá SP prá conhecer essa nova Igreja. Ao chegar lá o que vi me emociona até hoje: muitos jovens reunidos cantando um rock prá Jesus, e depois da mensagem e do convite, eles se entregavam a Cristo! Eram as famosas reuniões de segunda-feira no recém adquirido prédio da Lins de Vasconcelos 1108! Que época!

Segunda após segunda Estêvam e sua trupe iam atraindo mais e mais jovens de todos os tipos, religiões e denominações, prá desespero da pastorzada mais tradicional. Não quero entrar na questão teológica, mas a verdade é que a Renascer quebrou um padrão e trouxe novos rumos. Foi emocionante ouvir a banda Resgate se apresentar pela primeira vez lá; ver o Atos 2; Oficina G3, Banda Rara, Troad e todas as bandas que surgiram no cenário gospel nacional dos anos 90. Meu envolvimento com a música Gospel começou aí.

O negócio foi crescendo e com o tempo as coisa foram mudando de figura. Os shows de rock na segunda deram lugar ás "reuniões de empresários", e aquele cinema velho e escuro ganhou roupagem nova e sofisticada. Depois veio a fase da expansão, compra de outros cinemas, rádios, etc, etc, etc... Aí deu no que deu. Prá sustentar esse império todo é preciso grana, muita grana.

Sem medo nenhum digo que o Estêvam foi um dos pastores que marcou a minha vida. Suas pregações no Antigo Testamento eram memoráveis. Eu admirava sua visão "além do alcance". Mas algo se perdeu no meio do caminho... acho que foi o primeiro amor.

Ver aquele templo destruído me trouxe tristeza. Mas depois me veio um consolo do alto. Deus mostra que Ele é quem comanda, que a Igreja é Dele, e não há a mínima possibilidade de que o Seu Santo nome seja maculado por causa de dólares escondidos e recursos desviados.

A minha oração é que Estêvam, Sônia (me recuso a chamá-los de Apóstolo e Bispa) e Cia Ltda se arrependam perante Deus e publicamente reconheçam seus erros e recomecem tudo novamente. O mesmo Deus que restaurou Pedro, Davi e muitos outros pode restaurar esse pessoal, pois eles ainda tem muita lenha prá queimar! Na verdade, tudo é muito simples... só é preciso... RENASCER EM CRISTO!

Mauricio "pensando que está em pé, cuidando prá não cair" Boehme.

domingo, 18 de janeiro de 2009

A que ponto chega a nossa miséria


27 milhões de ligações. Esse foi o recorde de apenas um paredão no último big brother, ano passado. Se calcularmos o custo de R$ 0,80 por ligação, temos um faturamento de...R$ 21,6 milhões em somente um paredão! Enquanto isso, os programas de arrecadação de fundos de ajuda às vítimas das enchentes de Santa Catarina mal conseguiram chegar aos R$ 3 milhões.

sábado, 17 de janeiro de 2009

Minha Esperança Está em Ti o Tempo Todo


Estou desanimado. Confesso que fui acometido por um sentimento de extrema falta de fé na transformação das pessoas ao meu redor. É o fulano que não consegue abandonar um vício; é um filho adolescente que cada vez se envereda pelos meus caminhos; é o casal que cada vez briga mais e a situação não se resolve; é aquela pessoa que tanto lutamos para vir para o bom caminho que agora se desgarrou... Estou cansado, triste e desanimado. Tento ver algo que me anime, mas só vejo "baixas".

Esses dias eu tenho pedido a Deus que me dê uma confiança firme, nova e inabalável sobre quem Ele é e o que Ele pode fazer.
Algo que me tem ajudado é olhar para trás e ver o que Ele já fez em minha vida e na vida de tantas pessoas! Isso tem me ajudado a renovar o coração e a mente; tem me feito esperar nesse Deus da esperança! Na verdade não estou nem aí prás coisas que estão acontecendo, pois quero mais é viver a grande verdade que "Sobre Toda a a Terra Tu És o Rei"! Sei que tudo isso está vindo prá estar a nossa fé. Não vou me impressionar com os fatos que vejo, mas quero viver como parte do povo que anda pela fé, e não pelo que vê!

A Ti Senhor eu elevo a minha alma.

Em Ti confio, ó meu Deus.

Não deixes que eu seja humilhado,

Nem meus inimigos triunfem sobre mim.

Mostra-me, pois teus perfeitos caminhos.

Ensina-me as Tuas veredas,

Guia-me com Tua verdade

E faz Tua vontade

Pois tu és Deus, meu Salvador.

Minha esperança está em Ti o tempo todo

Minha esperança está em Ti o tempo todo

Minha esperança está em Ti o tempo todo

(Salmo 25 - música da Rafaella Henriques, no Cd "Só prá dizer" da Vila do Louvor)

Mauricio "esperando em Deus" Boehme


O que nós temos que aprender com "Troca de Família"


Você já assistiu ao "Troca de Família", na Record? Não? Então deveria gastar um tempo prá ver e aprender algo que todos nós cristãos deveríamos saber de cor e salteado!

Basicamente o programa consiste em trocar as mães de famílias bem diferentes durante uma semana. O mais legal é que eles fazem essa troca com pessoas o mais diferentes o possível! São mães do norte trocadas por mães do sul; mães pobres que vão para famílias ricas; mães de comunidades hippies que vão para o centro urbano e por aí vai. Como não poderia de ser, logo o pessoal começa a se estranhar. Alguns se saem bem, mas geralmente uma das mães arma o maior barraco e os relacionamentos desandam. As mães que se saem melhor são aquelas que aprendem a conviver com a diversidade, e numa lição de extrema tolerância e humildade convivem com pessoas totalmente diferentes das que elas estão acostumadas.

Qual a lição para nós, cristãos? Todas! A começar pela capacidade que deveríamos ter de saber conviver com as diferenças sem impor o nosso modo de vida. Sim, a palavra aqui é tolerância! Podem me chamar de liberal ou seja o que for, mas tenho visto que as pessoas que mais amam "as pessoas" nesse mundo são justamente aquelas que são desprovidas de preconceito e arrogância. O problema é que aprendemos a confundir o pecado com o pecador, e aí o molho azeda. As pessoas são diferentes, elas comem diferente, se vestem diferente. Elas adoram deuses diferentes. E nós, Cristãos, o que devemos fazer nesse mundo tão "mix", diferente? Devemos fazer aquilo que é simples e eficaz: amar as pessoas. Tenham elas tatuagens, sejam travestidas, fumem, falem palavrão ou leiam a Bíblia... pessoas são para serem amadas!

Penso que temos muuuuuuuuito a aprender com Cristo, embora levemos o nome de "cristãos". Ele sabia discernir o "pecado" do "pecador". Nós confundimos tudo isso. Vivemos pregando que Deus ama o pecador, mas se aborrece do pecado e fazemos justamente o contrário.

Não precisamos estar no "Troca de Família" para passarmos vergonha. Já estamos dando vexame a muito tempo em rede "celestial". Eu preciso me despir dos meus preconceitos (que são muitos!) e aprender a aceitar as pessoas como elas são, para construir pontes de relacionamentos a fim de conseguir ser uma boa influência com o meu cristianismo. Como eu tenho lidado com os tão diferentes e asqueirosos que me rodeiam? Tenho até medo de responder...

Mauricio "buscando a troca de coração" Boehme.