sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Quanto vale a sua integridade?


A um tempo atrás convivi com um grupo de pessoas que me ensinou muito sobre fé e integridade. Trabalhando com eles eu aprendi muitas coisas, e uma das que mais me marcou foi sobre o "valor da integridade".

Entendo por integridade ser correto e fazer o que é certo, sem vacilar. É ter aquele estilão de vida de Daniel dos tempos bíblicos, que não se contaminou. Um dos maiores desafios da vida cristã é sermos íntegros, isto é, sermos corretos, honestos, justos de tal modo que tudo o que fazemos, pensamos e pregamos demonstre esse nosso estilo de vida.

É aí que entra o Nelsinho Piquet. Não estou em lugar de juiz de sua vida, mas creio que ele vendeu uma parte da sua integridade ao aceitar participar daquela farsa do acidente. Ele mesmo confessou que fez isso por medo de perder seu contrato na temporada atual. Acabou perdendo de qualquer jeito... Ele não será punido pela Federação Internacional de Automobilismo, mas dificilmente uma equipe irá contratá-lo. O jovem piloto praticamente pode dar-se por aposentado. É muito triste.

Mas saiba que em todos os momentos passamos por situações semelhantes, onde somos tentados a vender a nossa integridade por um preço muito baixo, e às vezes até mesmo de graça! Uma mentira por causa de uma vaga; uma atitude ilegal para atingir a meta do mês na empresa; um comentário falso sobre o colega para passar-lhe a perna. Muitos querem a nossa integridade, cuidado! Deus também a quer, e de uma maneira intacta, sem manchas!

Mauricio "não vendemos integridade aqui" Boehme

Nenhum comentário: