domingo, 14 de agosto de 2011

Foi bom prá você?


A vida cristã, salvo raríssimas exceções, é uma vida egoísta. Achamos que somos o centro de todas as coisas, pensamos que tudo gira ao nosso redor, pensamos que nesse mundo só existem as nossas necessidades. Ser "cristão" seria, por definição, ter uma vida marcada pela ausência do egoísmo. Mas infelizmente não é isso que vemos. Triste constatação.

Isso é tão verdade que nos aspectos mais primários da nossa vida cristã percebemos o nosso egoísmo. Quando oramos, praticamente boa parte do tempo gasto é com pedidos; e boa parte dos pedidos feitos é para nossa própria vida. Se der tempo, oramos em favor dos demais. É o MEU serviço, é a MINHA necessidade, é a MINHA felicidade... meu, minha, meu, meu... O aspecto comunitário "nós" foi totalmente esquecido. O Deus que EU sirvo é o GOD 2.0, que funciona bem para os tempos modernos onde a individualidade reina. O Deus da Bíblia, versão "O GRANDE EU SOU" que se agrada da coletividade, este está ultrapasssado.

Quando chegamos no templo para os cultos de domingo, é aí que o bicho pega mais ainda. Tudo tem que estar ao MEU gosto: a iluminação, a decoração, as músicas, a pregação. Não se fala mais aquele lance antigo de "entrar para adorar". A programação toda tem que estar ao meu gosto, senão "não gosto"! Quantas vezes você não se pegou falando prá si mesmo, ou para outros, "hoje o culto estava uma bênção!". Bênção prá quem? Prá mim? Prá você? O que Deus achou de tudo isso?

Estou tentando mudar meus conceitos de vida cristã. Não vivo prá mim mesmo, mas para Aquele que deu a Sua vida por nós. Sendo assim, a minha vida diária, o meu falar, o meu pensar e até mesmo o "culto" que presto a Ele têm que ser vividos e entendidos de uma ótica diferente: a DELE, e não a "minha". Não posso terminar o dia, ou sair do culto esperando que Deus me diga: "foi bom prá você?". Eu é que tenho que perguntar: Senhor, você se alegrou com a minha vida/culto/pensamento/palavra/agir? Buscar a resposta afirmativa da parte de Deus para essa pergunta, esse é o grande desafio da vida!

Mauricio "foi bom pra você, Deus?" Boehme

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Os dois ladrões em mim


Lá estão eles: Jesus e os dois ladrões, lado a lado. Não sei o nome deles, nem que tipo de crime cometeram, apenas sei que algo de muito cruel eles fizeram. Sei também que Jesus estava entre eles, mas não era um deles. Ele era puro, santo e inocente, e mesmo assim se submeteu a essas estranhas e inconvenientes companhias.

Um se parece comigo, pois é interesseiro e zomba de Cristo. Já fiz isso muitas vezes e se não cuidar, volto a fazer. Ele duvida da divindade de Jesus, e num grito de desespero ainda questiona o poder salvador. Eu sou esse ladrão. Em meio a momentos de dor e tristeza, onde a morte ronda a minha existência, eu sou tentado a duvidar dAquele que é fiel e que por tantas e tantas vezes me socorreu. Sim, eu sou esse cara que não vale nada, a ponto de ter que morrer por causa do seu próprio erro. E o pior, a Salvação está ao meu lado e eu não posso ver!

O outro ladrão se parece comigo também. Igualmente culpado eu repasso a minha vida num flash, como num filme. Percebo que poderia ter sido melhor e nesses últimos momentos de vida eu me arrependo de tudo o que fiz e percebo que ao meu lado está o Reto e Justo Jesus. Tenho vergonha de tudo o que fiz, mas não tenho vergonha de tentar virar o placar aos 48 do segundo tempo. Contemplo Jesus, e meio que inspirado por Ele mesmo, eu percebo que a vida não se encerra ali. Na verdade vou tomar uma decisão que irá dar início á minha verdadeira vida! Lembro-me que Ele é o Rei , e que o seu Reino não é desse mundo, e sendo assim há uma esperança para mim. Pago os meus débitos com a sociedade com a morte da minha carne, mas recebo graciosamente a oportunidade da liberdade eterna no Reino de paz e justiça. Esse ladrão sou eu.

Tento me parecer com o segundo. Detesto ser como o primeiro. Quero fazer morrer minha natureza pecaminosa e reviver a vida de Cristo em mim.

Maurício "esses dois ladrões vivem em mim" Boehme

Texto baseado na passagem de Lucas 23:39 a 43